A AMPAC parabeniza seu Associado e ex-Vice-Presidente, Sammy Barbosa Lopes, pela sucesso na eleição da formação da lista tríplice para escolha do novo Ministro do Superior Tribunal de Jutiça.
O ex-Procurador-Geral de Justiça do Ministério Público do Estado do Acre, Sammy Barbosa Lopes, obteve o maior número de votos dos Ministros do STJ, encabeçando a lista tríplice que será enviada à Presidente da República, que escolherá o novo integrante do Tribunal Superior.
O Superior Tribunal de Justiça divulgou o fato em seu site, confira a notícia abaixo.
Pleno define lista de membros do Ministério Público para vaga no STJ
Os procuradores de Justiça Sammy Barbosa Lopes (Acre), Sérgio Luiz Kukina (Paraná) e José Eduardo Sabo Paes (Distrito Federal) foram escolhidos para compor a lista tríplice que será encaminhada à presidenta da República, Dilma Rousseff, para a escolha do novo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ). A eleição ocorreu há pouco, no Pleno do Tribunal. Os ministros escolheram três nomes em uma lista de 51 candidatos para concorrer à vaga aberta com a aposentadoria do ministro Hamilton Carvalhido, em maio do ano passado. 

Em primeiro escrutínio, foi escolhido o procurador do Acre Sammy Barbosa Lopes, com 17 votos. No segundo escrutínio, participaram Sérgio Luiz Kukina (16 votos), José Eduardo Sabo Paes (14 votos), o subprocurador-geral da República Francisco Xavier Pinheiro Filho (14 votos) e o procurador de Justiça do Distrito Federal Rogério Schietti Machado Cruz (13 votos). Mas nenhum conseguiu alcançar o número de votos necessário (17). 

Em terceiro escrutínio, foi escolhido Sérgio Luiz Kukina, com 17 votos. José Eduardo Sabo Paes somou 13 votos; e Francisco Xavier Pinheiro Filho e Rogério Schietti Machado Cruz somaram 12 votos. 

No quarto escrutínio, foi destacado José Eduardo Sabo Paes, com 13 votos. Francisco Xavier Pinheiro Filho somou 9 votos e Rogério Schietti, 8 votos. 

A lista será encaminhada à presidenta da República, que indicará o nome de um deles para ocupar o cargo de ministro do STJ. O indicado será submetido a sabatina na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado Federal e, posteriormente, a referendo do plenário daquela Casa.